• Marsurvivor

A força do Oriente e o enfraquecimento do ocidente


O mundo assistiu nesta quinta-feira (24/2) a invasão da Rússia na Ucrânia e a ameaça que o presidente Russo Putin fez as nações que interferissem em seus interesses, nas suas próprias palavras: "Quem interferir levará a consequências nunca antes experimentadas na história". Nos últimos cinco anos vimos a Rússia e a China cada vez mais tomando posturas independentes no cenário global, mostrando pouco caso com a reação do resto do mundo. Podemos ver como exemplo a postura indiferente da China que pode ser considerada responsável, direta ou indiretamente (dependendo do ponto de vista) em relação a pandemia mundial que se iniciou lá e se espalhou para o resto do mundo graças a ela ter escondido informações sobre o conhecimento da doença e mesmo assim foi defendida pela própria mídia no ocidente. Assim, estas poderosas nações que foram se fortalecendo ao longo das últimas décadas investindo em armamento e treinamento de seus soldados estão agora cada vez mostrando que estão prontos finalmente para enfrentar o seu maior inimigo mais antigo, o ocidente e virar o jogo. Mas por que isso aconteceu?


Os Estados Unidos, o antigo xerife do mundo ocidental caiu, suas bases apodreceram frente a movimentos ideológicos que contaminaram sua política, universidades, mídia. Os seus ideais greco-judaico-cristãos que o transformou em uma nação coesa com bases como moral, honra, sacrifício desapareceram. Hoje o ocidente vive em um mundo ideológico com adultos mimados sofrendo de um infantilismo profundo frente a velhos estrategistas do oriente que se pautam por ideais imperialistas de expansão de suas nações. Enquanto a China aposta em programas para desenvolver o senso de força e virilidade dos jovens nas escolas, o ocidente comemora a liberação do aborto de gestação de até seis meses na Colômbia aprovada na ultima segunda-feira (21). O oriente foi observando isso ao longo das décadas, e apostaram na destruição interna das nações ocidentais.


Adolescentes como Greta Thunberg ditam regras para lideres de nações ocidentais sobre como governar o mundo, sinalizando para o oriente o viés infantilizado, ideológico e fraco do ocidente.


Mas e agora, o que esperar? Agora obviamente as peças do jogo político mundial mudaram como nunca visto antes desde os anos noventa com o fim da União Soviética e isso trará consequência para a dinâmica e relações entre as nações. Mas o que fica de lição para nós sobrevivencialistas e combatentes urbanos: Quando o lobo sente a fraqueza da presa ele ataca. Armas vencem guerra e não falso senso de igualdade coletivista, pois os predadores não estão nem ai para manifestações ou opiniões de fracos.


Dúvidas? Sugestões? Deixem nos comentários. E nos ajude a lutar por uma internet livre onde possamos aprender e compartilhar conhecimento, sem restrição.

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos


E não esqueça de visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo:



Sobreviva a tudo e a todos. Seja o seu próprio Mestre. Autodefesa levada à sério.


Grupo Centro de Estudo MARS de Sobrevivencialismo Urbano

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo