• Marsurvivor

Perfil Criminal: Canibais


O canibalismo ou antropofagia é o ato de consumir carne humana. Tal ato sempre esteve presente na história da humanidade, e como veremos a seguir pode ser origem cultural, fome em cenários extremos como um naufrágio por exemplo, ou resultado de transtorno de personalidade.


Nesta postagem conheceremos o perfil psicológico do indivíduo portador de tal transtorno, o que o impulsiona esse tipo de predador humano, o que representa tal ato, qual sua relação com as vítimas ou mesmo a visão que tem delas.



Antropofagia

Na mitologia Grega vemos Cronos devorando os próprios filhos.

Alguns antropólogos acreditam que o canibalismo começou na história humana primitiva e proliferou com a crescente tentativa do homem de apaziguar os deuses, sobreviver à fome ou se vingar ou controlar seus inimigos. Até hoje, evidências arqueológicas sugerem que o canibalismo era praticado desde o Período Neolítico e a Idade do Bronze no que é hoje a Europa e as Américas. De acordo com o livro de William Arens, The Man-Eating Myth: Anthropology & Anthropophagy, o primeiro relato conhecido do canibalismo veio após uma expedição às Índias Ocidentais, liderada por Cristóvão Colombo. Colombo e sua tripulação supostamente descobriram que a tribo das Antilhas Caribenhas participava de uma prática particularmente horripilante de comer ritualisticamente a carne de outros humanos.


Os exploradores pronunciavam erroneamente o nome da tribo e se referiam a eles como “Canibs”, que foi alterado para “canibales”, que significa sede e cruel em espanhol. A tradução inglesa da palavra espanhola tornou-se canibalismo, que é o termo mais usado para expressar o consumo humano de outros seres humanos. A forma latina da palavra canibalismo é antropofagia e é um termo usado principalmente em antropologia e arqueologia.


Nos tempos modernos, o assassinato de uma pessoa ou o uso de um cadáver para consumo por outro humano em qualquer situação, fora das condições de fome, é considerado uma forma de canibalismo criminoso ou antropofagia. No entanto, a definição e as leis que governam o canibalismo criminal variam consideravelmente de cultura para cultura. Em muitas partes do mundo, o canibalismo não é considerado um crime em si e é frequentemente reconhecido apenas em concordância com outro crime como o homicídio, vilipêncio de cadaver ou necrofilia.


A seguir  vamos vamos analisar os tipos de canibalismo cultural, necessidade e o c riminal:



1. Cultural

Existiram grupos que praticavam canibalismo ao longo da história. No Brasil, também haviam tribos que praticavam rituais do canibalismo. Um exemplo, são os Tupinambás que habitavam no litoral sudeste do país. Baseados na caça e na recolecção (viviam do que recolhiam), acreditavam em espíritos, nos heróis e nos pajés que transmitiam suas histórias. Eles possuíam uma língua comum, o tupi. Contudo, não havia união entre suas tribos e, por isso, acabavam guerreando. Assim como outros povos que praticavam a antropafagia acreditavam que tal ato os fazia absorver a força do inimigo. Mesmo na atualidade existem alguns grupos que em rituais funebres devoram o corpo de parentes que já foram justamente como uma forma de conexão, também chamado de endocanibalismo.  Para a tripo Yanomami comer as cinzas do amigo morto é uma prova de respeito e afeto, sendo que não é um gesto de ódio, mas de amor.



2. Necessidade

Um casal russo vende partes do corpo humano em um mercado. Povo da Rússia começou a comer e vender membros humanos devido à luta de alimentos durante a fome russa de 1921.


O ato de canibalismo também ser de origem de fome extrema devido situação de guerra ou mesmo situações adversas como naufrágios etc... Presente em vários momentos em nossa história periodos em diversos períodos de guerra como a Guerra de Poleponeso, as cruzadas, guerras napoleônicas entre centenas de outras. Em 1933, Stalin estipulou uma nova meta de produção e coleta, a qual deveria ser executada por uma Ucrânia que estava agora à beira da mortandade em massa por causa da fome, que havia começado em março daquele ano. Casos de de canibalismo, estão bem documentados em imagens como esta abaixo:

Mãe servindo a filha morta para que os demais filhos sobrevivessem ao período de fome.



3. Transtorno Mental, canibal predador

A maioria das pessoas conhecem este tipo de psicopatia graças a livros, filmes ou séries de televisão como Hannibal. O que poucas pessoas sabem é que esses portadores de tal transtorno estão presentes em nossa história desde o inicio. Porém na antiguidade o homem comum não conseguia conseber a existência de pessoas que pudessem praticar tais atos. Então eles o desumanizavam associando suas personas com monstros dando origem a lendas de lobisomens, vampiros  etc. Muitos canibais condenados a fogueira na idade média  eram condenados como lobisomens que se transfomavam em lobos e devoravam pessoas.  Como o caso de Gilles Garnier,  Ele foi descrito como totalmente consciente apesar de que pensava ser realmente um lobisomem e que tinha atacado na forma de besta. Garnier confessou ter perseguido e assassinado pelo menos quatro crianças com idades entre 9 e 12 anos. Sua primeira vítima foi uma menina de 10 anos de idade, a quem ele arrastou para uma vinha fora da Dole em outubro de 1572. Ele a estrangulou e a arrastou para dentro da floresta, onde ele tirou a sua roupa e comeu a carne de suas coxas e braços. Quando terminou, removeu um pouco de carne que levou para sua esposa em casa.


Garnier foi condenado pelo crime de licantropia e bruxaria, na França a referida Lei para os lobisomens, condenava-os a serem queimados na fogueira, onde bruxas e hereges eram por vezes executados antes de serem queimados, mas os lobisomens deveriam agonizar vivos no fogo da inquisição. Gilles teve essa punição e morreu na fogueira como um lobisomem no dia 18 de janeiro de 1573.

Hoje sabemos que tais individuos estão longe de serem seres misticos, ao contrário podem ser seu qualquer pessoas. São portadores de psicopatia, e suas compulsões antropofagicas podem estar tanto relacionadas como forma de satisfação do prazer sexual, quanto também resultado de delírio psicótico como  Richard Trenton Chase era um serial killer do tipo vampiro que consumia o sangue de suas vítimas porque acreditava que alienígenas do espaço estavam transformando seu sangue em pó e, ele precisava que repor para não morrer. Obviamente, Richard era um esquizofrênico paranóico. No entanto, a maioria dos canibais não é psicótica, são consciente da realidade, sabem muito bem o que estão fazendo, e são muito inteligentes.


O canibalismo tem várias variações:


Canibalismo Projetado : Canibalismo Projetado é o ato de alguém induzir outros a se envolverem no Canibalismo, seja pela força, servindo restos humanos como alimento para os outros, ou por outros meios.


Vampirismo : Este termo refere-se a canibais que preferencialmente consomem sangue humano em vez de carne, muito parecido com as criaturas fictícias a quem o termo se refere. Por que os canibais amam comer pessoas


Existem quatro formas primárias de canibalismo criminoso:


  • canibalismo sexual

  • canibalismo de agressão

  • canibalismo espiritual e ritual

  • canibalismo epicurista / nutricional

O canibalismo é a expressão final do domínio sobre outra pessoa. O canibalismo de agressão inclui atos de canibalismo que são motivados por sentimentos de hostilidade e / ou medo, criando uma necessidade primordial de exercer poder, vingança ou controle sobre a vítima, assassinando-a e depois consumindo-a. Pode-se também achar o gosto agradável (canibalismo epicurista / nutricional). Outro pode se entregar ao canibalismo para alcançar uma maior afinidade espiritual com a pessoa que devorou, ao mesmo tempo em que obtém intensa sexualidade e gratificação,como no caso do canibal alemão Armin Meiwes.


Perfil:


Solitários, não têm amigos e são amargos. Os canibais tendem a se sentir realmente inseguros e não podem ter relacionamentos normais. Para alguém que está isolado e ressentido, preenche um vazio. Matar e comer uma vítima garante que o agressor nunca esteja sozinho. Ele 'tem' as vítimas com ele em todos os momentos. Elas nunca podem sair. Isso ajuda o canibal a manter uma sensação de controle sobre sua vida. Para si mesmo, ele demonstrou domínio sobre outro ser humano. A vítima agora faz parte dele como um troféu. Isso é intoxicante e leva-o a fazê-lo novamente. Isso é intoxicante e leva-o a fazê-lo novamente. Como os canibais podem ter apegos emocionais, as mortes de suas vítimas geralmente são rápidas, querendo poupar a dor da outra pessoa. Eles não estão interessados ​​em sofrer vítimas, como Ted Bundy. Eles não estão procurando por sadismo. Eles simplesmente querem acesso ao corpo.


É muito difícil prever quem se tornará canibal, já que os psicopatas são dissimulados. Pode haver sinais na adolescência , como matar pequenos animais e beber seu sangue. No entanto, os infratores fazem grandes esforços para ocultar esse comportamento. O fascínio pelo sangue o consome até o ponto em que o indivíduo afasta as pessoas vivas. Ele prefere gastar tempo se concentrando em sangue e assassinato do que qualquer outra coisa. No geral, os canibais estão muito orgulhosos de suas ações. No entanto, eles são inflexíveis sobre o fato de que eles são canibais e nada mais.



Modus Operandi:


Geralmente o assassino atrai uma vítima desavisada para sua casa e o subjuga. Às vezes são drogas . Outras vezes, o infrator simplesmente atira ou apunhala a vítima. Então, uma fantasia elaborada se desenrola. Cortar a carne é sexualmente excitante, de acordo com os canibais. Sentir a carne quando sai do corpo levou muitos agressores ao orgasmo . Eles gostam tanto do processo de remover a carne do esqueleto. Isso faz com que eles se sintam todos poderosos e capazes de algo que poucas pessoas já fizeram. Mesmo a maioria dos serial killers não comem suas vítimas. Então o canibal está na classe sozinho. E ele sabe disso. Isso produz um estado eufórico que ativa o centro de prazer no cérebro. Cada corte traz mais sentimento bom. Por isso, é comum encontrar muitos cortes menores no corpo. O processo é empolgante para ele. Para o psicopata o canibalismo é geralmente um ato sexual: “Sempre que os assassinos comem outras pessoas, estão fazendo uma fantasia sobre relacionamentos e intimidade.




Assassino em série americano Jeffrey Dahmer

Jeffrey Lionel Dahmer, também conhecido como Milwaukee Cannibal, cometeu o estupro, assassinato e desmembramento de 17 homens e meninos entre 1978 e 1991, com muitos de seus assassinatos posteriores envolvendo também necrofilia, canibalismo e a preservação permanente de partes do corpo.


Os crimes de Jeffrey Dahmer eram tão hediondos que foram manchetes em todo o mundo. Por mais de uma década, Dahmer atraiu homens para seu apartamento com a promessa de sexo ou dinheiro e drogou suas vítimas antes de desmembrá-las. Quando a polícia invadiu seu apartamento em julho de 1991, eles encontraram várias partes do corpo de suas 17 vítimas, como cabeças decepadas, braços e torsos, armazenadas em seu freezer. Dahmer mais tarde admitiu comer as coxas, os corações e os órgãos de muitas de suas vítimas. Dahmer foi condenado a 15 penas de prisão perpétua em 15 de fevereiro de 1992. Durante a sentença de prisão, Dahmer supostamente formaria sua comida em membros decepados - completos com "sangue" de ketchup - para chocar os outros internos. Essa provocação o levou ser condenado Dahmer à morte em 1994.












Albert Fish

Em janeiro de 1936, Albert Fish foi executado pelo assassinato de Grace Budd, de dez anos de idade, a quem ele havia afastado de seus pais dois anos antes, sob o pretexto de ir a uma festa de aniversário. Fish havia levado Grace para uma casa abandonada, estrangulado até a morte e desmembrado seu corpo - mas ele não parou por aí. Depois do assassinato de Grace, Fish mandou uma carta para sua família enlutada, detalhando como ele havia comido partes de seu corpo depois que ela morreu. Quando a polícia encontrou Fish, ele confessou dois outros assassinatos e disse à polícia que ele também havia consumido partes do corpo de um menino de 4 anos chamado Billy Gaffney. Em uma carta ao seu advogado, Fish confessou que bebeu o sangue de Gaffney e fez um guisado de seus órgãos.





Andrei Chikatilo

Apelidado de "O Carniceiro de Rostov" e "O Estripador Vermelho", Andrei Chikatilo foi um dos assassinos mais prolíficos da Ucrânia, confessando 56 assassinatos (embora apenas acusados ​​de 53 ) durante a sua onda de crimes de 12 anos.

Alguns especialistas acreditam que Chikatilo, que começou a matar no final da década de 1970, se interessou pelo canibalismo em tenra idade. Ele alegou que sua mãe lhe contaria sobre um irmão mais velho que havia sido morto e canibalizado por seus vizinhos. Embora a história nunca tenha sido verificada, ela combinaria com as conseqüências da grande fome ucraniana dos anos 1930, na qual o canibalismo generalizado foi documentado.

Como um adulto, Chikatilo atraía mulheres jovens para os bosques, estuprava e mutilava, e então comia seus órgãos sexuais , assim como removia outras partes do corpo como nariz e olhos. Chikatilo foi preso em 1990 e executado por seus crimes em 1994.






Issei Sagawa

Nascido no Japão em 1949, Issei Sagawa experimentou “anseios canibais” em tenra idade. Em uma entrevista com o Vice News , Sagawa descreve olhar para seus colegas da escola primária e anseio de comer sua carne, afirmando que ele ficou obcecado em comer "mulheres ocidentais altas e saudáveis" devido a um complexo de inferioridade.

Aos 27 anos, Sagawa mudou-se para Paris para estudar na Sorbonne, onde mais tarde conheceu a colega de classe Renee Hartevelt e a convenceu a voltar ao seu apartamento para traduzir poesia para ele. Lá, Sagawa atirou e matou Hartevelt , estuprou seu cadáver e comeu partes de seu corpo nos próximos dias.


Sagawa, mais tarde apelidado de “Canibal de Paris”, acabou sendo capturado e deportado para o Japão, onde estava comprometido com uma instituição psiquiátrica - mas devido a um tecnicismo, Sagawa não pôde ser legalmente detido e foi libertado. Sagawa permanece livre até hoje e vive sozinho em Kawasaki, no Japão.







Armin Meiwes

Armin Meiwes (Rotemburgo, 1 de dezembro de 1961) é um técnico alemão em reparo de computadores que alcançou notoriedade internacional por matar e comer um homem voluntário que ele havia encontrado através da Internet. Depois de Meiwes e a vítima, juntos, tentaram comer o pênis cortado do próprio homem, Meiwes matou sua vítima e passou a comer uma grande quantidade de sua carne. Por causa de seus atos, Meiwes também é conhecido como "Canibal de Rotemburgo" ou Der Metzgermeister ("O Mestre Açougueiro").


Procurando um voluntário para ser devorado Meiwes publicou um anúncio no site The Cannibal Cafe (um site de blogs para pessoas com fetiches canibais). O post de Meiwes afirmava que ele estava "procurando uma pessoa forte de 18 a 30 anos de idade para ser abatida e depois consumida". Bernd Jürgen Armando Brandes, engenheiro de Berlim, respondeu ao anúncio em março de 2001. Meiwescortou o pênis de Bernd e preparou um prato e o serviu como pode servisto na imagem abaixo. Depois o matou e fez diferentes pratos com o corpo ao longo dos dias e filmou o processo.


 Meiwes foi preso em dezembro de 2002, quando um estudante universitário em Innsbruck, na Áustria, telefonou para a polícia depois de ver novos anúncios de vítimas e detalhes sobre o assassinato na internet. Os policiais procuraram a casa de Meiwes e encontraram partes do corpo de Brandes e a fita de vídeo do assassinato. Em 30 de janeiro de 2004, Meiwes foi condenado por homicídio culposo e condenado a oito anos de prisão. O caso atraiu a considerável atenção da mídia. Em abril de 2005, um tribunal alemão ordenou um novo julgamento depois que procuradores apelaram a sentença de Meiwes. Eles acreditam que ele deveria ter sido condenado por assassinato. Em 10 de maio de 2006, um tribunal em Frankfurt declarou Meiwes culpado por assassinato e condenou à prisão perpétua.






Obras indicadas:


Livros:






Séries:




Dúvidas? Sugestões? Deixem nos comentários. E nos ajude a lutar por uma internet livre onde possamos aprender e compartilhar conhecimento, sem restrição.

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

15 visualizações
output_aBa1uU.gif
aaaaa1.png

Curta nossa página no Facebook:

Nossas redes sociais:

CONFACMARS.gif

Autor: Marcos Ribsantos

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube

Contador de Visitas

Contador de Visitas

thomas-richter-pistol-blue-turntable.gif

Biblioteca de Armas

Centro de Estudo MARS de Sobrevivenciali

Nossas redes sociais:

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
output_HFM1Yq.gif
CSINerd.png

©2017 by Centro de Estudo MARS.