• Marsurvivor

Sobrevivencialismo Psicológico: Saia do ciclo de vitimização!


Muitas pessoas procuram a autodefesa depois que passaram por alguma situação difícil em sua vida. Como disse em outra postagem tive um aluno que foi vítima de bullying e mesmo depois de adulto ainda se sentia inseguro e com medo. E isso "atraia" problemas para ele mesmo adulto, no trabalho e cursos que fazia pois as pessoas percebiam facilmente sua inadequação, e as pessoas que eram maldozas agiam com provocações e deboches. Tinha uma postura encolhida, travada, e falava muito baixo. Ele faltava nas aulas de combate, com o tempo ele se sentiu mais a vontade e me falou das sua dificuldades, e de sua história. Contou várias situações onde foi alvo de humilhação e cada vez mais se sentia afundando, não querendo interagir com outras pessoas.


Nesta matéria vamos falar um pouco mais sobre como você pode fugir desta situação que chamo de "ciclo infinito de vitimização (CIV)".



Reconhecendo o ciclo infinito de vitimização (CIV)

A pessoa que passa por traumas, seja: abuso infantil, bullying ou mesmo uma situação traumática depois de adulta em um crime, por exemplo, como vítima de roubo, sequestro, ou estupro, pode sofrer toda uma alteração na sua estrutura neural, de como seu cérebro percebe e responde ao mundo. Seu cérebro começa a trabalhar como de vítima, a fazendo andar encolhida, assustada, apressada, exalando medo. E este medo não passa despercebido por agressores seja bullers, assaltantes, etc, pois os lobos (agressores sociais) estão sempre atrás das ovelhas mais fracas do rebanho para atacar e conseguir seus objetivos, seja roubar ou simplesmente autoafirmar sua força. E assim cada vez mais a pessoa vai atraindo mais e mais atenção de agressores e se enfraquencendo psicológicamente mais e mais podendo desenvolver diversas psicopatologias como transtorno evitativo, agorafobia, depressão profunda e até mesmo pensamentos suícidas.



Ciclo infinito de vitimização (CIC)


Os agressores atacam aqueles que sentem ser fracos é um instinto natural. O Tenente-coronel Dave Grossman em sua obra "On Killing" fala sobre o instinto de perseguição, que na maioria dos animais que faz com que até mesmo um cão bem treinado e não agressivo persiga e puxe qualquer coisa que correr. Enquanto você estiver de costas, fugindo estará em perigo, será a presa. Me lembro na época da escola no ginásio de um rapaz que começou a ser perseguido por um aluno metido a valentão que nem mesmo era muito mais forte que ele. Mas por algum motivo o rapaz não reagia, e as agressões foram escalonando, começaram com empurrões, depois pegar o material e arremessar longe, soco no estômago, depois as agressões foram para o nível moral cuspe no rosto, e tapa na cara. Os outros colegas falavam para ele reagir, depois começaram a provocá-lo: vira homem! Não seja covarde! Um dia inesperadamente para o espanto de todos ele reagiu, o valentão não deu nem pro começo, no final ele o agarrou pelo pescoço e a luta terminou. O valentão a partir daí sempre passava de cabeça baixa perto dele. O rapaz voltou a curtir a escola normalmente e descobriu que todo o medo de reagir era uma ilusão, acredito que ele percebeu que o pior era continuar sofrendo aquilo e ainda ser visto como menos homem, menos masculino pelos colegas, um covarde, que também estavam começando a provocá-lo.


Pra quem do lado de fora pode ser difícil entender a atitude deste rapaz, a demora de reagir, porém mais pra frente descobri que seu pai era abusivo, e sempre o espancou. Assim algumas pessoas que são vítimas de violência doméstica, bullying, ou de algum trauma decorrente a um ato de violência eles vivem numa espécie de inferno psiquico. Quando ele identifica uma situação que considera perigosa a adrenalina que seria útil para preparar seu corpo para o combate só lhe deixa duas opções: paralisia ou fuga! Então qual a resposta para isso?

Cerébro normal (à esquerda) e cérebro com depressão (à direita) pode se observar que as áreas ativas são diferentes e consequentemente o funcionamento do cérebro também será diferente, tendo uma percepção anomala do mundo.


Sim, procurar uma autodefesa é bom, mas antes de tudo faça um autoexame, dependendo da gravidade que o problema lhe apresenta, o medo, talvez seja melhor você investir primeiro ou paralelamente na resolução do seu conflito mental, procurando algum profissional um psicologo, um psicanalista ou psiquiatra. Nosso cérebro é como um computador e as vias neurais que você cria durante sua jornada pode gerar um algorítimo que só responde com fuga, e dependendo da extensão e profundidade que este problema atingiu é necessário um pouco mais de trabalho para recondiciona-lo.


Algumas dicas:


- Autoexame: Faça uma lista com seus pontos fortes e fracos para iniciar uma estratégia de mudança e fortalecimento;


_ Procure academias e cursos com bons profissionais que tenha aulas de luta de forma segura onde o instrutor acompanhe, você só vai se sentir seguro se acreditar que tem força para machucar outras pessoas caso precise. caso não acerte da primeira não importa saia e continue procurando, não se prenda a lugares ruins;


- Se valorize, leia bons livros, aumente seu conhecimento e sua capacidade cognitiva. Isso o ajudará a avaliar melhor o mundo e as situações da vida;


- Faça meditação, as vezes precisamos calar as vozes internas;


- Tenha como referência guerreiros reais ou da ficção que você admire, e visualise como meta sua transformação para se tornar como ele;


- E caso ache necessário não deixe de procurar ajuda de profissionais da área da saúde: psicologos, psiquiatras e psicanalistas;


- Leia também nossos artigos sobre RNC - Reprogramação neurocombativa clicando aqui.


Lembre-se: O sobrevivencialista e combatente urbano faz seu próprio caminho, é o seu próprio mestre, não procure por um Mestre Yoda pra chamar de seu. Seja questionador, faça cursos em lugares credenciados com profissionais com experiência em área de segurança. Afinal autodefesa é um investimento para proteger a sua vida e daqueles que o cerca.

Obras indicadas:





Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

Colaboração:

Dr. David S.




E não esqueça de visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo:



Sobreviva a tudo e a todos. Seja o seu próprio Mestre. Autodefesa levada à sério.


Grupo Centro de Estudo MARS de Sobrevivencialismo Urbano

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo