• Marsurvivor

Predadores Urbanos: Ocultistas & sacrifícios humanos, a verdade que poucos querem ver


No Brasil, 200 mil pessoas desaparecem por ano, sendo 40 mil crianças e adolescente. Dessas pessoas desaparecidas, 10 e 15% não são encontrados. Trafico de órgãos, trabalho escravo e pornografia infantil são alguns do motivos. Porém hoje vamos falar de outro motivo que poucas pessoas imaginam que exista, os predadores ocultistas, que sequestram e matam pessoas em rituais de magia negra. São vários casos catalogados em todo o mundo e é um perigo ronda a todos nós.

Rituais de sacrifícios humanos na história

Arqueólogos encontram vitima de sacrifício humano em escavações em reínas do Peru.

Desde que o ser humano começou a questionar o mundo a sua volta, ele teve a necessidade de uma ligação com um ser divino que pudesse lhe responder questões sobre a vida, e lhes proteger de inimigos, desastre naturais, fome, seca etc. E nisso foram criados os primeiros cultos onde aquele membro da comunidade que tinha uma capacidade de abstração maior, desenvolvia respostas e normas de determinada divindade, e se apresentava como porta voz desta divindade ao povo. Já na pré história principalmente nas culturas neolíticas ou nômades, foram encontrados registros de adoração.

E não raro essas divindades segundo os seus sacerdotes exigiam sacrifícios para serem apaziguados.


O cristianismo encerrou os sacrifícios de animais por meio do auto sacrifício de seu representante maior, Jesus Cristo.

Porém, mesmo com a institucionalização do cristianismo os rituais pagãos com sacrifícios humanos continuavam na Europa, milhares de acusados de praticas de bruxaria foram condenados a fogueira pela igreja.

Bruxas entregando bebês para o demônio

E a própria igreja católica condenou a morte na fogueira milhares de pessoas em nome de Deus, por diversos crimes por meio de tortura, os padres praticamente obrigavam as pessoas confessarem qualquer coisas que nem sabiam que estavam sendo acusados.



No século XVI, "A condessa Drácula", Elisabete Báthory, teria matado pelo menos 650 pessoas bebido e se banhado com sangue para conseguir a juventude eterna, foi condenado ao exílio.

Atualmente em todo o globo há milhares de casos registrados de cultos que praticam sacrifícios humanos. Dos cultos e as religiões associados à maioria dos sacrifícios humanos modernos, o satanismo está no topo da lista. Os satanistas são um pouco propensos a ser atraídos por assassinatos rituais.

Sacrifício Humano no Brasil

Aqui no Brasil centenas de pessoas desaparecem por dia, já foram descobertos inúmeros casos de rituais de magia negra, com sacrifício humano em todos os estados.




Em 2017 onde sete pessoas suspeitas de terem participado de um ritual satânico, que terminou com o esquartejamento de duas crianças no Rio Grande do Sul. De acordo com as investigações, o ritual satânico teria custado R$ 25 mil e sido encomendado por dois homens da cidade de Novo Hamburgo que almejavam “prosperidade nos negócios empresariais”.



Mato Grosso


Em 2016 no município de São Pedro da Cipa investigação apontou que bebê com agulhas pelo corpo foi torturado em ritual.

Da esquerda para a direita Wellinton de Jesus Costa, Iraci Queiroz dos Santos Baiana e Débora Queiroz dos Santos.



Santa Catarina

Em janeiro de 2021 Josimare da Silva, mãe da menina Brenda Carollyne da Silva, de cinco anos, foi presa após assassinar a própria filha, no município de Maravilha, em Santa Catarina. Carlos Reis, delegado responsável pelo caso, afirmou que os agentes que encontraram a criança afirmaram que ela teve parte da língua e os olhos arrancados com uma tesoura.

“Quando os militares chegaram ao local, a mãe estava rezando”, disse o delegado em um comunicado emitido pela Polícia Civil.




Cidade de Mariana

Na cidade de Mariana, uma mãe-de-santo que teria pedido o sacrifício de crianças para “ajudar” uma cliente dela que queria engravidar. No momento em que os policiais invadiram a casa dela, Solange e o marido, Evandro Alfenas Bosco, manteriam em cárcere privado, sob a ameaça de um facão, duas irmãs de 10 e 11 anos de idade. Elas teriam sido abordadas pelo casal na praça Tiradentes, no centro de Ouro Preto.


Goiânia


Um crime bárbaro chocou a população de Goiânia (GO), em 1989. Um menino de 4 anos foi brutalmente assassinado no terreiro Axé Ilê Oxalufã, durante um ritual de magia negra que tinha como objetivo, acredite, “resolver” problemas amorosos de um casal. O que rolou foi que a esteticista Elsa Soares da Silva, inconformada com o seu ex-namorado ter começado um novo relacionamento amoroso, pediu ajuda ao pai de santo Willian Domingos da Silva.


O pai de santo aceitou o “trabalho”, mas disse que precisaria de uma criança para um sacrifício. Elsa, então, raptou um garoto que morava na vizinhança, e o levou ao pai de santo. O menino, Michel Mendes, foi amordaçado e passou por uma série de crueldades durante o ritual: foi espancado, teve três dentes retirados, todos os dedos da mão foram amputados e, ao final, foi decapitado. O corpo do garoto só foi encontrado 13 dias depois, em uma cova próxima ao local da morte. Após investigações da polícia, Willian e Elsa foram acusados pelo Ministério Público, mas o inquérito ficou parado até 1998, quando foram retomadas as investigações. O pai de santo foi julgado e condenado, em janeiro de 2009, a 19 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado: crime cometido por motivo torpe, com uso de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Ele foi preso só em 2011, depois de diversos recursos na Justiça. Elsa, por sua vez, foi condenada a 18 anos de prisão. Considerada a mandante do crime, pesou contra a esteticista o fato de terem sido encontrados na residência dela objetos semelhantes aos usados durante o ritual criminoso. O julgamento ainda citou a participação de duas outras pessoas no crime, Alexandre dos Santos Silva Neto e Eva dos Santos Marinho, que morreram antes de serem julgados. O ex-namorado da esteticista não foi citado no processo todo.



Lineamento Universal Superior (LUS)


O LUS, também conhecido como Lineamento Universal Superior, uma seita criada na Argentina, que migrou para o Brasil e protagonizou uma das histórias mais macabras desse país. surgiu em 1984, quando Valentina Andrade, uma cristã fervorosa, passou a ouvir vozes que não vinham de Deus, mas sim, segundo a sua narrativa, de extraterrestres. Ela jurava falar com Individualidades Cósmicas Superiores, que passavam a ela informações sobre o fim do mundo e de como tudo estava sendo deturpados por nós, humanos, seres mal programados, que estavam fadados a um destino terrível.




A “Bíblia” do LUS citava que as crianças eram portadores malignos e representantes do mal do mundo e foi aí que um dos crimes mais macabros da história do Brasil começo. Durante os anos 80, essa seita chegou a ter 300 seguidores no Brasil, Argentina e Uruguai. Uma das grandes forças dela ficava em Altamira, no Pará. Lá, um médico psiquiatra, Anísio Ferreira de Sousa, entrou para o rito e as palavras do livro guia foram totalmente absorvidas por ele.



Em pouco tempo, a seita apocalíptica guiada pelos supostos extraterrestres começou o trabalho de livrar o mundo do mal, antes que tudo acabasse. Sem medo, eles começaram a sequestrar crianças e fazer o trabalho que era exigido pela guia, Valentina Andrade.



As crianças sequestradas, que ao total foram 19, eram assassinadas, mas, antes disso, muita coisa acontecia. Primeiro, as crianças eram abusadas sexualmente, mutiladas, queimadas com cigarros, levavam tiros de arma de fogo, algumas eram esquartejadas ou tinham os olhos arrancados. Os meninos eram emasculados, ou seja, tinha seus órgãos sexuais cortados fora.



Entre 1989 e 1993, muitas crianças sumiram e depois da descoberta da seita assassina, diversas ossadas foram encontradas. Muitos foram presos, mas o principal líder regional, o médico Anísio, só foi condenado pelo assassinato de três crianças, devido à falta de provas.



O mais incrível é que Anísio, durante o julgamento no Supremo Tribunal, acabou ganhando o direito a responder ao processo em liberdade e fugiu, assim que teve sua prisão decretada em 2005. Somente em 2009 ele foi capturado e está cumprindo a pena de 77 anos. Entre os outros presos pelos assassinatos das crianças temos dois policiais, um fazendeiro e mais um médico. A criadora da seita, Valentina Andrade foi absolvida, pois nunca puderam ligar os crimes e ela.

A trágica verdade


Léo Montenegro, é pesquisador de assassinatos acontecidos em rituais de magia negra em seu o livro Crimes Satânicos ele aborda vários casos ocorridos no Brasil e em várias partes do mundo respondendo questões: Porque somem tantas crianças e adolescentes diariamente? Porque elas nunca são encontradas ou quando são, estão mortas e esquartejadas? Porque as autoridades não conseguem solucionar tais casos?

Em seu livro o escritor, narra como fez contatos com grupos envolvidos com cultos com sacrifício humano. Ele denuncia o rapto organizado de pessoas com objetivo serem sacrificadas em rituais de magia negra dentro e fora do Brasil, apresenta casos que vêm acontecendo em todo o mundo. O livro ainda descreve os diversos crimes que que descobriu e que estão ocorrendo a todo momento sem o conhecimento da população em geral, que não tem a minima ideia da existência de um fato tão dantesco e comum.


O autor ainda alerta que o satanismo tem se multiplicado em todo o mundo. A internet se tornou sua principal ferramenta de aliciamento, alcançando jovens e adultos que pensam ter encontrado no satanismo uma forma de expressar seu ódio contra a família, a igreja e o mundo. A Bíblia Satânica pode ser baixada gratuitamente em milhares de sites e toda essa facilitação somada á curiosidade acaba por contribuir com o crescimento do satanismo no mundo todo. E ainda o autor descobriu sites e fóruns na internet dedicados á auxiliar jovens cristãos convertidos ao satanismo, dando dicas de como esconder sua nova crença e até mesmo dando instruções de como agir na hora de contar á família que era um adorador de Satã. O livro também fala da relação entre Serial Killers e cultos satânicos; cita casos famosos como Charles Manson, Richard Ramirez, David Berkowitz, Henry Lee Lucas, Ottis Tole, Condessa Bathory, Richard Ramirez, entre outros. Vale muito a pena como material de pesquisa sobre esses tipos de predadores urbano.


Em outros países

São inúmeros os casos em todas as regiões do mundo, que aparecem a cada dia de sacrifícios realizados tanto por indivíduos isoladamente como grandes grupos organizados em seitas, abaixo citarei apenas alguns casos famosos que foram divulgados pela mídia, pois são tantos casos sendo noticiados a todo o momento em praticamente todos os países que seria impossível listar aqui. EUA

Anton LaVey, Criador da Biblia Satânica


Anton LaVey nasceu em Chicago, em 1930. Largou a escola cedo e foi trabalhar no circo, onde se tornou domador de leões. Depois, foi organista em clubes de striptease e detetive particular. Já na juventude, era fissurado por livros de satanismo e, aos 25 anos, leu a obra do ocultista inglês Aleister Crowley (1875-1947). Foi uma revelação. Juntou as doutrinas de Crowley com o seu estilo circense e, em pouco tempo, arrebanhava discípulos para a causa satânica.


Quando criou a Igreja de Satã, escolheu como insígnia o selo do Bafomet, um pentagrama que circunscreve a imagem do Chifrudo. Sua motivação explícita era instaurar o reino do Anticristo sobre a Terra. Os rituais incluíam desde a repetição de hinos a sessões de vodu ou sexo grupal. Os membros se vestiam de preto – com exceção das “sessões de luxúria”, quando as mulheres vestiam roupas mais eróticas, como babydolls. Em 1967, uma socialite nova-iorquina, Judith Case, celebrou seu casamento na igreja de LaVey. No dia seguinte, com o rosto estampado em vários jornais, Anton ficou famoso.


Para lucrar com o sucesso, LaVey escreveu em 1969 a Bíblia Satânica. A obra, misturando várias filosofias, mitos e religiões, colocava Satã como uma força, nem boa nem má, que permeia e se manifesta em todos os seres da natureza. “Dentro de cada um de nós existe uma besta que precisa ser exercitada, nunca exorcizada”, dizia.


Em 1973, a barra começou a sujar para ele: Michael Aquino, um ex-agente da CIA e ex-discípulo de LaVey, denunciou o comércio de ordenações sacerdotais dentro da seita. O dinheiro ia para o bolso de LaVey – uma transação que não era proibida, mas que pegou mal a ponto de causar um racha entre seus seguidores. Nos anos 80, foi acusado de espancar a esposa (sua terceira) e de forçar discípulas a manter relações sexuais com ele e a se prostituir. Anton LaVey morreu em 1997. Talvez tivesse um encontro inadiável com o seu mestre.



Casos famosos de cultos no EUA

Miranda Barbour, 19, afirma que ela se juntou a uma culto satânico e teria assassinado mais de 22 pessoas para o demônio.


Henry Lee Lucas.

Henry Lee Lucas confessou estar envolvido em cerca de 600 assassinatos, em conjunto com Ottis Toole, cerca de uma morte por semana entre 1975 e 1983. pertenceu a um culto satânico e canibalista, chamado The Hand of Death (A Mão da Morte), que o levaram a participar em filmes snuff ( vídeos com mortes reais). Ele trabalhou para um culto satânico chamado A Mão da Morte; seu trabalho era raptar crianças e jovens para rituais satânicos e para a filmagem de vídeos snuff.


Moises Meraz-Espinoza mutilou e esfolou a própria mãe em ritual satânico. Um outro caso famoso, é o assassinato de uma mulher californiana de 42 anos, Amelia Espinoza.O assassino era seu próprio filho , Moises Meraz-Espinoza, trabalhador da fábrica de 18 anos. Foi especulado que Moisés estava preocupado com a morte de sua namorada em um acidente de carro, e que talvez o tenha levado ao horrível assassinato. Outros relatam que o adolescente teve um relacionamento tenso com sua mãe, que não aprovou seus gostos musicais escuros, entre outras coisas. O promotor, no entanto, afirmou que o assassinato foi motivado por puro mal e pela firme convicção satânica de Moisés.


Independentemente dos motivos, sabemos como tudo terminou. Meraz-Espinoza estrangulou Amelia e depois mutilou seu corpo sem vida . Moises esfolou sua mãe morta, retirou seus órgãos e cortou o corpo em pedaços com uma serra circular. Fatias de pele e carne foram posteriormente encontradas empilhadas em um freezer. A cabeça de Amelia, que foi encontrada em uma mochila, recebeu algum tratamento especial. Todos os dentes foram arrancados, seus olhos foram removidos e dois cruzamentos de cabeça para baixo foram esculpidos no osso. Os investigadores encontraram uma Bíblia satânica com um capítulo sobre o sacrifício humano. Além disso, a data da morte horrível de Amélia coincidiu com um dia de sacrifício humano ou animal no calendário satânico.


Após o assassinato, Moisés foi ao seu primo e pediu-lhe para ajudá-lo a se livrar do corpo, mas ela persuadiu o adolescente a confessar a polícia. Eventualmente, Meraz-Espinoza foi condenado por assassinato em primeiro grau e condenado a 25 anos de prisão. "Eu não sei o que posso dizer para transformar sua vida, mas você terá muito tempo para pensar sobre isso", disse o juiz ao jovem praticante de sacrifício humano.

Rússia

A polícia na cidade russa de Yaroslavl prendeu um grupo de ‘góticos’ acusado de matar e comer quatro adolescentes em um sangrento ritual Satânico, Nikolai Ogolobyak, era líder da seita . Os oito supostos Satanistas, de 17 a 19 anos, teriam atraído as vítimas a festas na floresta nos limites da cidade de Yaroslavl, antes de induzi-los a beber e então esquartejar seus corpos. Policiais encontraram os braços e pernas das vítimas em uma vala, vestidos com símbolos Satânicos, e investigadores dizem que cada vítima foi esfaqueada 666 vezes, um número considerado um sinal do demônio.



Itália

Um grupo italiano conhecido como as “Bestas de Satã”, no final da década de 90, composto por amigos fãs de black metal, assassinou dois adolescentes durante um ritual satânico e, depois de enterrá-los, dançaram sobre suas sepulturas gritando que as vitimas haviam se transformado em zumbis. O grupo foi preso seis anos mais tarde depois de cometer outro duplo assassinato, e todos foram julgados e presos




Índia

Um "feiticeiro tântrico" foi linchado depois que ele decapitou Sanatan de cinco anos na frente de seus pais em uma plantação de chá no estado de Assam, no nordeste. Na província do sudeste de Andhra Pradesh, um menino de 14 anos foi sequestrado por uma seita à procura de tesouro escondido em 2012. Eles o levaram a um forte abandonado e mataram-no sob uma lua nova, acreditando que isso poderia favorecer os espíritos antigos que lhes mostrariam como encontrar o tesouro.