• Marsurvivor

Legítima Defesa Parte 3: Luta suja, onde a sobrevivência é tudo!


Como já comentei em outros posts, as lutas de rua não seguem regras ou limites, não tem juízes, ninguém vai intervir quando você estiver sendo morto. Hoje vamos estar falando aqui sobre luta suja, onde só a sobrevivência importa. Logicamente estamos falando de legítima defesa em caso extremo onde sua vida está em jogo, e não para alguém agir como psicopata. Observação importante: As informações presentes nesta matéria são para o público maior de 18 anos, para fins de conhecimento didático, e treinamento combativo baseado na legítima defesa e estrito comprimento legal que estão em nossa constituição e Código Penal. O uso indevido dessas informações, bem como suas consequências é de responsabilidade única e exclusivamente de quem praticar e desobedecer a lei. Então use o cérebro.

Depois de ler a mensagem acima podem iniciar a leitura do artigo abaixo:

1. Pontos Vulneráveis

Quando sua vida está em risco, você deve ligar sua mente no modo brutalidade e ferocidade total, sem piedade ou ter qualquer sentimento. E o mais importante, você deve saber como neutralizar seu oponente com a maior eficiência e rapidez possível. Já mencionei em outros posts a importância para o combatente urbano em conhecer anatomia. Pegue livros em bibliotecas ou sebos e estude com seriedade, não dependa de maus profissionais de artes marciais que muitas vezes não tem a mínima formação escolar do nível fundamental e querem ensinar pontos mágicos e esotéricos no corpo. Saber como identificar os pontos sensíveis da anatomia do seu oponente é uma vantagem significativa, onde bater antes de receber uma chuva de golpes que não o deixará ileso.


Sem necessariamente ter que dominar uma determinada arte marcial, um golpe poderoso em certas partes do corpo do seu atacante pode impactar o suficiente para permitir que você fuja.


Cabeça e pescoço: Na cabeça, os pontos estão quase em todos os lugares: os olhos, o nariz, as orelhas, o queixo, a base do crânio, têmporas, queixo... Cada um dos golpes devem ser aplicados com muita violência nestes pontos, deixando o oponente atordoado por alguns segundos até alguns minutos. Alcançar o rosto do seu oponente nem sempre é fácil, este é o primeiro ponto que é defendido em um confronto. Se você tiver a oportunidade, as áreas mais sensíveis são as mandíbulas, os têmporas, as orelhas e os olhos. Um exemplo, uma batida violenta nos ouvidos com a palma da mãos abertas pode causar desorientação ou uma perda de equilíbrio, podendo explodir os tímpanos de seu agressor. O pescoço também oferece a possibilidade de um ataque muito violentamente no pescoço, como um soco direto, por exemplo.


Tórax e abdômen: A caixa torácica, abriga vários órgãos, é obviamente um lugar muito sensível do corpo humano. Existem zonas de impacto que podem aniquilar a agressividade de qualquer agressor, mesmo o mais poderoso. Um golpe no plexo, por exemplo, causará dor intensa no corpo do seu oponente e interferirá no bom funcionamento de sua respiração. Figado, baço, costelas flutuantes são pontos extremamente importantes que podem causar um grande dano ao agressor.


Pernas e pés: Quando mais móvel e ágil for o agressor, menos fácil é dominar, para limitar seus movimentos, você deve acertar suas pernas. Com a ajuda de chutes violentos e esmagadores, você poderá acertar os joelhos, a fim de destruir ou mesmo quebrar as juntas esféricas, portanto, deixando o oponente em choque. Ainda na parte inferior temos pontos importantes como a artéria femoral (que desce ao longo da parte interna da perna), órgãos genitais (uma joelhada ou chute violento visando esmagar os testículos), os osso dos pés também podem ser quebrados com pisões violentos, ou no mínimo fará o agressor sentirá muita dor.




2. Golpes em luta suja

Novamente vou deixar claro que aqui estamos falando em legítima defesa, em caso de vida e morte. Vou citar um exemplo que aconteceu com esposa de um amigo meu, ela era estagiária em um escritório jurídico e constantemente o chefe do escritório a chamava para almoçar ou tomar um café, e ela educadamente sempre recusava. Porém um dia quando todos os funcionários haviam saído, ele a agarrou pelo braço e disse: "Hoje você não escapa", e a a garrou pelo braço, ela instintivamente deu uma joelhada em sua genitália e pegou uma cadeira que estava próxima e mandou na cabeça dele, e saiu correndo e chamou a polícia. Ela não praticava nenhuma defesa pessoal, foi inteiramente instintivo, ela se virou melhor do que muitas pessoas iludidas com artes marciais que são vendidas como milenares e mortais e entregam apenas movimentos bonitos. Em outro post eu mencionei o infeliz caso de uma moça que era graduada em determinado estilo, e acabou esfaqueada por que foi tentar os movimentos graciosos de leque que o professor lhe havia passado. Na rua só existe um estilo um estilo, o estilo das ruas: Tiro, porrada e bomba. Aqui vamos listar alguns possíveis golpes a considerar em casos de vida e morte:



a- Cabeça e Pescoço:


Cabeça: Pedrada, paulada, machadada na cabeça, cuspe na cara, mordida, soco, ou caco de garrafa na garganta;


Olhos: jogar areia nos olhos, furar os olhos com os polegares, com lápis, caneta, jogar água, cuspe para distrair;


Nariz: Cabeçada, soco e mordida no nariz;


Lábios: Soco e mordida visando arrancar os lábios;


Orelha: Pancada nas laterais do ouvido, atravessar lápis e caneta no ouvido, arrancar com mordida a orelha;


Queixo: Soco, cabeçada no queixo;


Cabeça: Pedrada, paulada, machadada na cabeça, cuspe na cara, mordida na garganta.




b- Tórax e abdômen


Tórax: soco no plexo solar, nas costelas flutuantes,. figado, baço, rim;


Abdômen: É onde estão as vísceras, qualquer rasgo abaixo do umbigo pode causar uma enorme infecção.



c- Testículos e Pernas



Testículos: Soco, joelhada, pisão;


Pernas: Rasgar artéria femural, quebrar joelho, e quebrar os pés com pisão.




3. Sempre ande com seu quite de Combatente Urbano Soco inglês, bastão retrátil, faca, push dagger entre outros itens devem fazer parte do EDC do combatente urbano. 4. Armas improvisadas

Estude os pontos vulneráveis do corpo humano, e comece a observar os objetos que te cercam no dia a dia, no seu curso escritório, oficina, em todo lugar: martelos, grampeadores, cadeiras, lápis, facão, faca de cozinha etc. Analise todas as possibilidades de usar qualquer objeto de forma violenta e eficaz.

Cano de ferro atravessado na cabeça


5. Dor e ferimentos

Lembre-se em um combate é normal sair com ferimentos, o que importa é sair vivo, e salvar os seus familiares. Acostume-se com a ideia da dor, faça treinamentos um pouco mais fortes com um amigo de confiança. E simule em sua mente situações em que você estivesse sentindo muita dor, ou com alguma amputação e tivesse que continuar lutando pela sua vida, ou para proteger alguém, seu filho por exemplo. 6. Armas

E lembre-se você combatente urbano mais do que ninguém sabe a importância de se possuir uma arma para proteger você, sua família e sua casa. Faça parte de movimentos a favor do armamento. É um direito constitucional você poder proteger a sua vida e seus bens. E faça cursos credenciados com profissionais com experiência em área de segurança.

Obras indicadas:


Livros:




Conclusão

Em uma luta onde a sua vida ou de seus entes queridos está em risco não a limites de recursos e de violência a usar. Seja feroz, brutal, sanguinário. Treine golpes violentos, melhor três golpes fortes para destroçar, do que seiscentos que só tem beleza que vão te levar a morte.


Acostume-se com a ideia de sentir dor, de se machucar e de ver sangue. Leia os outros artigos aqui que escrevi sobre combate urbano.

Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

Colaboração:

Dr. David S.




E não esqueça de visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo:



Sobreviva à tudo e à todos. Seja o seu próprio Mestre. Autodefesa levada à sério.


Grupo Centro de Estudo MARS de Sobrevivencialismo Urbano


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo