• Marsurvivor

Hoplofobia: Os disseminadores da projeção do medo


Apesar de objetos inanimados não poderem fazer nenhum mal de maneira direta e voluntária muitas pessoas projetam seus sentimentos internos em objetos e pessoas a sua volta e não percebem que esse sentimento partem dela e não do objeto em si. Com as armas de fogo não poderia ser diferente, existem as pessoas acreditam que são armas são como entidades malignas e que são "responsáveis pelos homicídios, roubos e todo tipo de crime. E pior ainda, além de abominar as armas de fogo acreditam que outras pessoas não possam ter o direito de adquirir pois essas pessoas se tornariam perigosa. Esse grupo de pessoas são os hoplofóbicos que são são divididos como veremos em dois grupos de pessoas. Os mal intencionados com intenções políticas disseminam o medo, e os hoplofóbicos propriamente dito, as ovelhas, que tem medo de serem responsáveis pela sua própria segurança e de sua família, e transferem essa responsabilidade ao estado.



Projeção do medo

É incrível como tem pessoas que exigem segurança e um melhor serviço policial, mas não tem a capacidade mínima de pensar em proteger a própria família. Tem medo de lutar e querem incoerentemente apenas resultados prontos. O hoplofóbico projetam esse medo nas armas de fogo. Você já deve ter visto em sua faculdade quando entra um colega que é policial que estuda em sua sala de aula a maioria dos colegas olham pra sua arma de fogo receosos no coldre receosos, e alguns comentam entre si que é um absurdo o colega entrar em sala com uma arma de fogo. Como se e arma fosse viva e fosse disparar contra eles. Na época que fiz faculdade tinha um policial militar que estudava em nossa sala, e ele não portava ostensivamente a arma para não gerar esse tipo de problema, porém um dia um professor que era juiz se aproximou dele e perguntou em tom ameaçador: aquilo que acredito que está na mochila está na mochila não é mesmo? É simplesmente ridículo, triste e decepcionante, vermos um jurista, braço do estado no cargo de juiz ser um hoplofóbico, não a toa vemos muitos policiais sendo processados por tortura em audiências de custódia, enquanto os criminosos saem em liberdade.


Em psicologia temos o teste de Rorschach, mais conhecido como "teste do borrão de tinta", que é uma técnica de avaliação psicológica, denominada de teste projetivo, ou mais recentemente de método de auto expressão. A pessoa olha um borrão de tinta e deve dizer o que lhe parece, um mesmo borrão de tinta pode despertar várias interpretações de pessoa para pessoa. Para uma lembra um animal, um demônio, um coelho, uma caveira, um foguete. Nada mais é do que uma projeção do próprio humor ou personalidade do individuo. No caso da arma de fogo funciona do mesmo jeito, para cada pessoa de acordo com sua educação e experiência pessoal ela se revela um objeto totalmente diferente que pode ser: uma ferramenta de trabalho, de sobrevivência, autodefesa, provedora de comida, um artigo esportivo, a morte, crime, ferramenta do diabo. Mas a grande verdade a ferramenta é apenas um cano de metal que expele projeteis, todas essas interpretações são dadas de acordo com o observador.

Tipos de Hoplofóbicos

Agora vamos analisar melhor os tipos de hoplofóbicos, mas antes vamos assistir esses dois vídeos abaixo, para vermos como funciona a mente deles:


Depois de analisarmos os vídeos acima, podemos continuar a nossa leitura da matéria. a) Grupos politicamente mal intencionados: os politicamente mau intencionados querem o controle, pregando medo e insegurança colocando a culpa na ferramenta e não em quem opera, disseminando o medo entre as ovelhas para medo de armas ou de qualquer coisa que lembrem que a violência existe. Nesse grupo encontramos lideranças políticas, ONGs, movimentos pseudo sociais e etc.


Na imagem acima o senador americano Leland Yee, era o principal ativista desarmamentista americano contra o porte de arma e jogos de vídeo games de tiro, foi investigado pelo FBI e sentenciado a cinco anos de prisão pelos crimes de corrupção e contrabando internacional de armas (metralhadoras e lançadores de foguetes portáteis).


Marina Silva entrevistada no Canal de sobrevivencialismo no Youtube do Julio Lobo à alguns anos disse ser contra o porte de arma, e que a preocupação dela era com os trinta por cento dos mortos anuais no Brasil que eram os negros pobres da periferia. E ainda afirmou que os policiais por possuírem armas em suas casas, se tornam alvos de criminosos que invadem suas casas para roubar suas armas. Afirmações controversas, porém mais controversa é sua posição a favor do aborto e liberação da maconha. Democraticamente.

Na imagem acima vemos o até então vice-presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos (Condepe) Luiz Carlos dos Santos que sempre denunciava tortura policial, foi investigado Ministério Público (MP), e se descobriu a sua ligação com a facção criminosa PCC e que suas denuncias contra a policia eram falsas e lhe era R$ 5.000,00 reais mensais pela facção, fatos que ele mesmo confessou. Foi sentenciado a 16 anos, dois meses e cinco dias de reclusão. Foi descoberto ainda na Operação Ethos, mais 39 advogados ligados à organização que também eram envolvidos com a facção criminosa. A razão para que muitos governos se empenham em desarmar seus cidadãos é o controle do cidadão, e o monopólio da força.


b) Holplofóbicos presos a ideologia: Aqui temos as classes das ovelhas propriamente dita, presos a doutrinas e filosofias imateriais para esconderem o seu medo: b.1 - Hoplofóbicos religiosos: Quem já não ouviu as frases do tipo: "quem vive pela espada morrerá pela espada"; "Se for agredido de a outra face". Ou ainda: "o reino dos céus será dos mansos e humildes de coração". É incrível como lideres religiosos andam com seguranças armados e vivem de maneira luxuosa, mas ainda sim os seus devotos espalham a filosofia contra a violência. e mais incongruente ainda é que muitos religiosos são repletos de castigos divinos com mutilação, decapitação e até aceitação da crucificação como sacrifício, ou penitencia. b.2 - Hoplofóbicos em negação: Uma vez um professor da faculdade em que estava respondeu a uma aluna da sala que lhe perguntou se ele achava que era verdade que os pais da menina no caso famoso dos "Nardonis" teriam mesmo matado a própria filha, ele respondeu: a pericia provam que sim, mas eu vou sempre acreditar que não, pois não quero viver em um mundo onde isso é possível. Ou seja mesmo com prova certas ovelhas querem viver no mundo de faz de conta, para não ter que arregaçar as mangas. b.3 - Hoplofóbicos traumatizados: Há aqueles que passaram por grandes traumas em sua vida, e com isso decidiram se afastar de tudo que lembre violência física ou mental: Curso de autodefesa, noticiário policial, filmes com violência. b.4 - Hoplofóbicos esquerdistas: Há aqueles que acreditam na doutrinação da luta de classes, e que as armas são ferramentas das autoridades para manter o poder e a opressão e a morte dos menos favorecidos, e a liberdade de fazerem o que bem entendem. A Incoerência dos hoplofóbicos

Quando estão em perigo lembram que precisam da atuação da policia e as forças de segurança, mas o mais engraçado é a argumentação paralógica em relação a polícia, sem o mínimo sentido lógico: "Prenda mas não agrida Use a força mas não machuque Use arma, mas não atire primeiro Que seja julgado, mas não deixe preso".


65.000 homicídios e latrocínios e milhares de roubos são realizados com armas do mercado negro, as dezenas de facções criminosas no Brasil tem acesso a granadas, laça foguetes, artilharia antiaérea e fuzis.



Menos armas não representam menos crimes. Quem comete crime se não tiver arma ele usa faca ou qualquer outro meio que possa ameaçar a vida das vítimas, para roubar ou estupra.


Destruir armas apreendidas do crime, não é vitória, é burrice. são milhares de armas que poderiam ser redistribuídas para agentes de segurança para protegerem os cidadãos e nossas fronteiras. Arma não tem vida própria, a violência armada vem da mente doentia e predatória do criminoso, e isso não se pode mudar.




Conclusão:

Os hoplofóbicos são os principais causadores de empecilhos em leis , e projetos armamentistas. Não compreendem a utilidade da arma e a associam com crime e morte. A verdade é que ela salva vidas, e é uma ótima ferramenta sobrevivencialista e esportiva. Devemos sempre que possível lutar pelos nosso direito constitucional de autodefesa, e apoiar movimentos armamentistas. Afinal é nossa vida e de nossa família que corre risco com essas doutrinas pacifistas, que acabam sendo causadoras de mais violência indiretamente. 60.00 homicídios e latrocínios, 60.000 estupros que o digam aqui no Brasil.


Não esperem as ovelhas definirem regras de autodefesa, ou os lobos baterem a sua porta. Se prepare para o pior, e espere o melhor. Semper fi.

Tudo bem, já entendi que você é a favor do desarmamento, ok?


Dúvidas? sugestões? Deixem nos comentários. Se gostaram deem um curtir e compartilhem. E não esqueçam de clicar em um dos anúncios para nos ajudar a continuarmos com nosso trabalho. Muito obrigado.

Prof. Marcos Antônio Ribeiro dos Santos

Colaboração:

Dr. David S.




E não esqueça de visitar nossa biblioteca sobrevivencialista virtual, clicando na imagem abaixo:



Sobreviva a tudo e a todos. Seja o seu próprio Mestre. Autodefesa levada à sério.


Grupo Centro de Estudo MARS de Sobrevivencialismo Urbano

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo