terça-feira, 7 de maio de 2019

Fuzil AK 47: A melhor das melhores - Parte 2


Na primeira parte da matéria sobre a AK47 conhecemos a história e desenvolvimento dessa incrível  arma. Agora na segunda parte vamos conhecer a sua estruturura e funcionamento.





Anatomia e funcionamento



 


AK-47 Type-3A
Tipo Rifle automático
Local de origem  União Soviética
História operacional
Em serviço 1949–presente (todo o mundo)
1949–1978 (União Soviética)
Histórico de produção
Criador Mikhail Kalashnikov
Data de criação 1946–1948[2]
Fabricante Kalashnikov Concern e vários outros incluindo a Norinco
Período de
produção
1949–presente
Quantidade
produzida
Mais de 100 milhões de unidades
Variantes AK-47, AK-47/1952, AKS-47, RPK, AKM, AK-74, AK-101, AK-103 e AK-107
Especificações
Peso 3,8 kg (descarregada)
4,3 kg (carregada)
Comprimento 870 mm
Comprimento
do cano
415 mm
Cartucho carregadores de 20, 30 ou 90 munições
Calibre 7,62x39mm
Ação gás
Velocidade de saída 715 m/s
Alcance efetivo 300 metros
Mira Mira de ferro com alça regulável e ponto de mira




O funcionamento da AK47 se dá de modo similar aos demais fuzis de assalto, pelo aproveitamento indireto dos gases que são desviados da parte posterior do cano até um cilindro montado acima deste, onde pressionam um êmbolo de longo curso que aciona o recuo do ferrolho de trancamento rotativo. 

 
O ferrolho desliza sobre dois trilhos na caixa da culatra com uma folga significativa entre as peças móveis e fixas, o que permite que opere com o seu interior saturado de lama ou areia. Dispara munição 7,62 x 39 mm nos modos automático e semiautomático. Seu registro de tiro e segurança é considerado por muitos sua principal desvantagem, não corrigida nos modelos posteriores. É lento e desconfortável, exige esforço extra para operar, especialmente com luvas, e quando acionado produz um "clique" alto e distinto. Outra desvantagem é a posição do ferrolho, que permanece fechado após o último tiro.

É alimentado por um carregador tipo cofre metálico bifilar de trinta projéteis, com retém localizado à frente do guarda-mato. Outros tipos de carregadores como o de quarenta projéteis ou o tambor de 75 projéteis da RPK também podem ser usados. Seu aparelho de pontaria é graduado de 100 m a 1000 m (800 no AK), e um ajuste fixo que pode ser usado para todas as faixas de até 300 metros. Pode também pode ser equipado com lançador de granadas montado sob o cano. A versão de coronha dobrável foi desenvolvida para as tropas aerotransportadas e denominadas AKS (AKMS). Os AK foram concebidos com baionetas destacáveis do tipo faca, que associada a sua bainha transforma-se numa tesoura de cortar arames.

 
O AK-47 foi projetado para ser um fuzil totalmente automático, simples e confiável, que poderia ser fabricado de forma rápida e barata, usando métodos de produção em massa que eram métodos de arte na União Soviética no final da década de 1940. O AK-47 usa um sistema de gás de curso longo que geralmente é associado com grande confiabilidade em condições adversas. O grande pistão de gás, as folgas generosas entre as partes móveis e o projeto cônico da caixa do cartucho permitem que a arma suportar grandes quantidades de corpos estranhos e incrustações sem deixar de funcionar.

  
Tem alta reputação entre especialistas por sua resistência à água, areia e lama, bem como por sua manutenção simples. Tem a fabricação de baixo custo e curto período de tempo, com cadência de 600 tiros/minuto. A velocidade do projétil na boca do cano é de 721 m/s, com munição calibre 7,62x39mm (cartucho curto, padrão russo). Em comparação a seu maior rival, o fuzil de fabricação norte-americana M4A1, o AK-47 tende a ser mais confiável e mais resistente aos elementos supracitados, também exigindo menos cuidados de limpeza e manutenção.

 
Quando comparada a espingardas modernas, a sua fama é folclórica, visto que contem muitas partes móveis, prejudicando a precisão de disparo, é muito ruidosa, é muito pesada, tendo em média, 4,3 kg (sem o carregador de munição, que pode conter 20, 30 ou 90 cartuchos) e tem um raio de ação eficaz de apenas 300 m, bem abaixo dos fuzis modernos.

O AK-47 e suas variantes são feitos em dezenas de países, com "qualidade que varia de armas finamente projetadas a peças de trabalhos questionáveis". Como resultado, o AK-47 tem uma vida de serviço/sistema de aproximadamente 6.000, para 10.000, para 15.000 disparos. O AK-47 foi projetado para ser um fuzil de assalto barato, simples e fácil de fabricar, perfeitamente compatível com a doutrina militar soviética que trata equipamentos e armas como itens descartáveis.Como as unidades são frequentemente implantadas sem o apoio logístico adequado e dependentes da "canibalização do campo de batalha" para o reabastecimento, é na verdade mais econômico substituir e não consertar armas.


O AK-47 tem peças pequenas e molas que precisam ser substituídas a cada mil disparos. No entanto, "toda vez que é desmontado além do estágio de decapagem, levará algum tempo para algumas peças recuperarem o seu ajuste, algumas partes tendem a se soltar e cair ao disparar a arma. Algumas partes da linha AK-47 são rebitadas juntas. Consertar estes problemas pode ser um tanto trabalhoso, já que o final do rebite deve ser moído e um novo conjunto colocado após a substituição da peça."



Na próxima página vamos conhecer os principais modelos variaveis da AL47.


https://univimars.blogspot.com/2019/05/fuzil-ak-47-melhor-das-melhores-parte-3.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...